Governador faz balanço de gestão, destaca esforço e avanços em meio à crise

Governador faz balanço de gestão, destaca esforço e avanços em meio à crise Destaque

Os desafios de gestão e as medidas de austeridade que resultaram no equilíbrio econômico e fiscal do Pará, e que proporcionaram o enfrentamento responsável da crise garantindo a continuidade de investimentos, oferta de serviços, salário do funcionalismo em dia e a conclusão de obras, sempre tendo como prioridade o combate à pobreza e à desigualdade. Estes foram alguns dos pontos apresentados pelo governador Simão Jatene, na manhã de terça-feira (6), durante a leitura da Mensagem Governamental do Pará à Assembleia Legislativa do Estado (Alepa). A cerimônia, realizada no plenário Newton Miranda, marcou a abertura dos trabalhos do parlamento no Estado. Durante a leitura, Simão Jatene apresentou aos deputados e à sociedade os resultados da gestão de 2017 e o balanço de seus dois últimos mandatos, fazendo, ainda, um prognóstico das obras e serviços com conclusão prevista para o final deste ano. O governador reforçou a posição do Estado no enfrentamento da pobreza e da desigualdade, que tem como base o desenvolvimento econômico e social, que culminam no Pará Sustentável e contam com parcerias estratégicas com instituições como ONU-Habitat e UNICEF. “Tomamos a pobreza e desigualdade como nossos grandes desafios. Mesmo diante da crise, foi possível levar em frente o esforço de construção de uma estratégia e um modelo de desenvolvimento que tivessem como referência os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, da ONU. Estamos e vamos continuar trabalhando para a melhoria da qualidade de vida da nossa população”, explicou Jatene. Entre os pontos destacados está o equilíbrio das contas públicas que garantiu ao Pará investimentos em diversas áreas e o salário do funcionalismo público em dia, mesmo diante da crise econômica no País. Este cenário possibilitou o investimento em obras nas mais diversas áreas, melhorando a qualidade de vida da população. "Com a crise, tivemos que desacelerar obras e fazermos ajustes para organizarmos nossas contas. Com o equilíbrio, não atrasamos salários do funcionalismo e demos prosseguimento às obras em todo o Estado. Graças aos paraenses, por meio de sua confiança e seus impostos, conseguimos superar o momento de maneira menos dramática", explicou o governador Simão Jatene. A situação de estabilidade econômica e fiscal também colocou o Pará em uma situação diferente diante dos demais entes da federação. O Estado, pelo quarto ano consecutivo, conquistou nota "A" na análise do equilíbrio das contas públicas realizada pelo Tesouro Nacional, que traz dados de 2016. Os ratings (classificação de crédito) vão de A a D, e o estado que conseguir notas finais A ou B – caso do Pará e Espírito Santo -, podem obter garantia da União para a contratação de novos empréstimos. “Em 2017, o Pará ficou em 4º lugar no Índice de Liberdade Econômica Estadual, balanço feito pela Mackenzie, que aponta os melhores estados para se investir. Isso mostra o nosso compromisso em governar com responsabilidade. Entre ser simpático e ser responsável, eu escolhi ser responsável; e tem que ter coragem para ter esse tipo de postura”, pontuou Jatene. AP

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.