Milhares de fieis vãos às ruas de Belém saudar a Rainha da Amazônia

0
28

O vai e vem frenético de pessoas pelas ruas da Cidade Velha e do Comércio em plena madrugada anunciava que não se tratava de mais um dia comum. Enquanto umas caminhavam apressadas para ir ao encontro da grande homenageada, outras preferiam garantir o melhor lugar para vê-la passar, bem de pertinho. Já organizados em fila, os promesseiros da corda esperavam pelo fim da missa campal celebrada em frente à Catedral Metropolitana de Belém, para o atrelamento das estações à berlinda. E como manda a tradição, às 5h30, ao fim da liturgia, teve início a maior procissão religiosa do Estado e uma das maiores do país: o Círio de Nazaré.

A corda, símbolo maior dos pagadores de promessa, começou a ser formada na avenida Boulervard Castilhos França, após a curva do Ver-o-Peso. Em todo o percurso, calçadas tomadas logo cedo por fieis e também por comerciantes, que aproveitam a movimentação excepcional da época para fazer uma renda extra, além de famílias que todos os anos assistem, do mesmo local, a passagem da Berlinda. Às seis horas o cortejo começou a ser formado e a imagem de Nossa Senhora de Nazaré foi colocada na berlinda, para ser vista e acompanhada por mais de um milhão de pessoas.

A procissão do Círio tem 3,6 quilômetros de percurso, saindo da Catedral, na Cidade Velha, até a Praça Santuário de Nazaré. A festa é considerada Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) desde 2013.

Em torno de mais um Círio, o de número 225, reúnem-se peregrinos, promesseiros, turistas, devotos, colaboradores, voluntários… mas se resumem a uma só nomenclatura: filhos de Nossa Senhora de Nazaré.

O tema deste ano “Maria, Estrela da Evangelização”, e também dia do Recírio, foi escolhido a partir dos escritos de São Bernardo de Claraval: “Olha para a estrela, invoca Maria”. O nome Maria, na sua origem mais primitiva, significa estrela. Por isso, ela é a estrela da evangelização, porque ela nos mostra o caminho que nos leva a Jesus Cristo. “Maria é a estrela esplêndida que se eleva sobre a imensidão do mar, brilhando pelos próprios méritos, iluminando por seus exemplos”, explica Dom Alberto Taveira, arcebispo metropolitano de Belém.

O esforço conjunto da Diretoria da Festa e dos inúmeros parceiros envolvidos na organização da procissão garantiu que, pela primeira vez em muitos anos, o Círio completasse os quase quatro quilômetros que separam a Catedral Metropolitana de Belém da Praça Santuário em um tempo bastante hábil. Ás 9 horas a berlinda com a imagem de Nossa Senhora já alcançava o cruzamento das avenidas Presidente Vargas com Nazaré, à altura do edifício Manoel Pinto da Silva, com 2,10Km percorridos. Apesar dos apelos reiterados a cada ano, a corda dos romeiros foi cortada a quatro quadras da Basílica.

Às 11h18 a berlinda deixou a avenida Nazaré e ganhou o acesso da Praça Santuário, marcando os últimos momentos do Círio. A projeção da Diretoria do Círio é que as procissões deste ano reúnam 77,6 mil turistas. Somente na grande procissão deste domingo, a estimativa de participação é de dois milhões de devotos.

Por Governo do Estado do Pará

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY