Diminui número de vítimas de trânsito atendidas no Hospital Regional de Altamira

124

Referência em atendimento de média e alta complexidades, o Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira (PA), registrou uma queda de 21% no número de atendimentos a vítimas de acidentes de trânsito no primeiro trimestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2016. De janeiro a março de 2017 foram realizados 140 atendimentos. Ano passado, esse índice foi de 179.

Essa redução ocorre paralelamente à realização de ações por órgãos públicos e instituições da região para sensibilizar a população quanto aos riscos dos acidentes de trânsito. O Hospital Regional de Altamira integra a mobilização a partir do projeto ”Direção Viva: você consciente, trânsito mais seguro”, realizado desde o ano passado. As orientações são repassadas a usuários, acompanhantes e colaboradores, a partir de palestras, rodas de conversa e distribuição de material educativo.

A iniciativa é um projeto contínuo, que ocorre em todas as unidades de saúde públicas do Pará, gerenciadas pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Ela consiste em promover ações de educação em saúde voltadas à conscientização sobre as sequelas oriundas de traumas por acidentes de trânsito, buscando, assim, disseminar a informação sobre o impacto dos acidentes de trânsito na sociedade, bem como, formar multiplicadores no processo de combate à insegurança no trânsito.

Segundo o diretor-geral do Hospital Regional de Altamira, Edson Primo, o ”Direção Viva” é realizado em caráter permanente na unidade, com o intuito de contribuir para reduzir ainda mais os índices de acidentes na região. “Esse projeto é a nossa principal arma no combate a essa epidemia de acidentes de trânsito que vivemos. Portanto, nós do HRPT, vamos trabalhar o assunto principalmente nas escolas. O intuito da ação é mostrar aos futuros condutores a importância de cada um deles na aplicação das regras de trânsito, além do respeito ao próximo. O nosso objetivo principal é conscientizar para evitar acidentes e, consequentemente, reduzir mortes. Esse é o grande benefício para todos”, afirma o diretor.

Lidando todos os dias com esse tipo de atendimento, o enfermeiro assistencial do Pronto Atendimento do HRPT, Gilmário Castro, descreve em quais condições chegam as vítimas de acidente de trânsito na unidade. “Geralmente, o paciente chega em estado grave. São pacientes, na maioria das vezes, sem o uso de capacete e cinto de segurança”, explica o enfermeiro.

Por Aretha Fernandes

SHARE